15 junho 2012

Fallen, por Lauren Kate


Fallen é, em toda a sua essência, polêmico. Apenas por tratar de anjos os religiosos e ateus criam discussões sobre suas tramas e personagens. Mas não é por isso que faz tanto sucesso. O livro foi um best-seller pelo fato de ser muito bom ou muito ruim.
Logo que entrou no mercado, Fallen foi detonado. As primeiras resenhas foram criadas e a maioria dos blogueiros e críticos falaram que a escrita de Lauren Kate era péssima. Que o livro era monótono e que a tentativa de ação no final ficou fraca demais para um contexto tão chato. Mas, porém, ao longo que a história crescia, surgiram pessoas que apreciaram o livro. Alguns, até, o tem como seu preferido. Sou uma dessas pessoas, mas que o tem como um dos seus preferidos (só para deixar claro).
Opiniões críticas são opiniões críticas. Eu, por exemplo, digo que a narração de Lauren Kate é impecável. Que apesar das calmaria antes do incêndio na biblioteca o texto me prendeu. Não demorei dois dias para ler. Passei uma noite em claro, mas li. Como já tinha o segundo livro quando comprei Fallen, já tinha os dois no meu armário. Portanto, terminei de ler e fui para o outro, de tão obcecada que eu estava.
A história conta sobre um anjo e uma menina de alma jovem, por volta dos 17 anos, que têm um amor incondicional e eterno. Os dois não podem viver juntos, e são sempre separados pelas forças do céu e do inferno para que Daniel, o anjo, sofra. Não é bem explicado o motivo de tanto rancor pela história de Daniel com Luce. Tenho minhas desconfianças de que Lúcifer tinha uma queda por ela. Não importa. Ainda não chegamos aí.
Como Luce sempre reencarna após ser morta pelas forças supremas aos 17 anos de idade, nesta vida vem como uma doce, gentil e menina de classe média. De alguma forma estranha, o destino fez com que ela encontrasse Daniel, já escondido para que não tivesse que sofrer pela morte da amada. Acontece que o "namorado" de Luce morre em um incêndio e ela, sendo a única testemunha, é taxada como culpada e obrigada a ir para um reformatório nojento e chato, chamado Sword & Cross. Apesar do clichê de colegas de quarto = best friends forever, Luce não recebe ninguém para morar com ela. Entretanto, conhece Ariadne, uma menina estranha, gótica e completamente delinquente que é um dos piores casos de lá. As duas tornam-se amigas, melhores amigas, na verdade, até que Luce conhece Penn, uma menina decente filha do zelador já falecido. A menina está no reformatório e estuda ali por opção, para não se distanciar do pai. É bem macabro, para falar a verdade.
Além dessas amigas que faz, Luce conhece alguns inimigos e "conhecidos". Gabe, uma loira antipática e aparentemente fútil para Luce; Cam, um menino sedutor e galã que esquenta o coração da menina; Molly, uma gótica chata e irritante metida a valentona; Roland, um garoto tecnicamente da "máfia" (haha, é uma piada) que consegue tudo mesmo dentro do reformatório; Daniel, um lindo e grosso garoto que de cara antipatiza com Luce e que faz o coração destra tremer (porque os dois são almas gêmeas, né).
Ao decorrer da história, Luce e Penn tentam descobrir informações de Daniel e Cam tenta se aproximar da menina. Por isso alguns chamam de monótono; a história fica nessa até pelo menos a metade do livro, quando a biblioteca é incendiada com Luce, Penn e Toby (um menino esquisito que entrou no reformatório junto com Luce) dentro. As consequências disso são que Toby morre e Luce é resgatada por Daniel, tendo alguma consciência enquanto é levada até um local seguro pelos céus (e consegue ver também as asas do amado, muito linda essa parte).
Finalmente, a história fica interessante. Luce e Daniel começam a ter algum tipo de comunicação e o romance fica mais intenso. Ao mesmo tempo, Lucinda percebe que não há jeito de ter um relacionamento com Daniel. Então, Cam entra na jogada e faz com que Luce sinta alguma coisa por ele. Um dia, no entanto, consegue sair do reformatório com ela para um encontro. Neste encontro, Cam entra em uma briga de bar e Luce corre do estabelecimento, caindo bem nos braços de Daniel. Amo esta parte.
"- Chega! - Luce gritou, mas nenhum dos dois ouviu ou ligou. Luce sentiu-se enojada. Ela queria tirar os olhos do nariz sangrando e chicletes do cara grudados contra a parede, pela força quase sobre-humana de Cam. Queria dizer a ela para baixar para lá, que ela mesma acharia uma maneira de voltar para a escola. Queria, principalmente, sair de perto da macabra sombra agora cobrindo todo o teto e escorrendo pelas paredes. Ela pegou sua bolsa e saiu correndo noite afora...
E direto para os braços de alguém.
- Você está bem?
Era Daniel."
A história de amor dos dois é bem contada e, quando no terceiro livro Luce se vê morrendo na época da 2ª Guerra Mundial, podemos ver o quão trágica é realmente a história dos dois. Lauren Kate arrasa na escrita, mas por causa da calmaria tão longa recebe quatro cupcakes.

0 coments:

Bookaholic, lembre-se de que eu amo uma boa opinião!
PS: divulgue apenas blogs literários. ♥